Secretário-Executivo da CMI presente na 50a. Assembleia Geral da CMSB

Slider

O Secretário Executivo da CMI, Irmão Geraldo Macedo, participou da Assembleia Geral da CMSB – Confederação da Maçonaria Simbólica do Brasil, nesta última semana, em Aracajú. Esse evento, considerado o maior evento maçônico do país, teve uma edição histórica: além de ter sido a 50ª Assembleia Geral Ordinária, completando assim Bodas de Ouro; foi a primeira presencial após o início da pandemia, simbolizando o retorno aos trabalhos em nível nacional, de forma cautelosa.

A CMSB reúne a maioria das potências que compõem a Zona 5 da CMI e o evento contou ainda com delegações de outras potências confederadas à CMI, como do GOBA – Grande Oriente da Bahia (COMAB); da Grande Loja Simbólica do Paraguai; e de três Grandes Lojas Mexicanas: Valle de México, “Cosmos” de Chihuahua, e Guerrero.

A presença da comitiva mexicana é um dos reflexos positivos da viagem anterior do Secretário Executivo da CMI ao México, promovendo, a partir de então, um maior intercâmbio maçônico Brasil-México. Na ocasião, a CMI também intermediou diálogo entre a CMSB e a COMAB, de forma a garantir o respeito territorial e a amizade fraternal nas questões jurisdicionais que envolvem potências de ambas as confederações.

Além das plenárias, o Secretário-Executivo atendeu à primeira investidura ao 33° grau deste ano, realizada pelo Supremo Conselho do Grau 33 do REAA da Maçonaria para a República Federativa do Brasil, que fraternalmente foi incluída na programação da 50ª CMSB.

Há que se ressaltar o exemplo de união e harmonia dado pela CMSB a todos os presentes, em que se imperou o consenso, tendo o agora Secretário-Geral Ad Vitam, Irmão Cassiano Morais, sido aplaudido por seus projetos inclusivos e inovadores, e o novo Secretário-Geral, Aldino Brasil, assumido com uma promessa de investir ainda mais em educação e formação maçônica.   E desse modo, a CMI, maior organização maçônica do mundo, presente em 26 países de dois continentes, mostra que é possível  pensar globalmente e agir localmente, auxiliando na construção de pontes entre as potências confederadas, o que beneficia seus membros e fortalece a Maçonaria Regular mundial.